Conheça o Pantanal

O Pantanal é a maior área continental alagável do mundo. São aproximadamente 210.000 km2 espalhados por três países da América do Sul: Paraguai, Bolívia e Brasil, esta área equivale a 10 vezes o tamanho do Parque Everglades, nos EUA. 

A maior parte desta planície (aproximadamente 140.000km2) encontra-se em território brasileiro.
Devido ao seu perfil geológico que proporciona um pulso de água o Pantanal possui duas estações bem distintas anualmente a seca e cheia.

É considerado um dos locais mais ricos em biodiversidade no Mundo. Este ecossistema possui a maior densidade de vida silvestre das Américas, sendo comparado com as savanas da África.


O Pantanal faz parte da Bacia do Alto Paraguai, tendo o Rio Paraguai seu principal meio de escoar o excesso de água das chuvas.

Dentro deste ecossistema é possível encontrar cerca de 650 espécies de aves, 95 de mamíferos, 260 de peixes e 50 de répteis, sendo importante refúgio para algumas populações de animais ameaçados de extinção como a onça-pintada (Panthera onca), o cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus), o tamanduá bandeira (Myrmecophaga tridactyla) e a arara azul (Anodorhynchus hyacinthinus).


O Pantanal é influenciado por quatro grandes biomas: a Floresta Amazônica, a Floresta Atlântica, o Cerrado e o Chaco. Isto torna a região um complexo com diferentes características, dividida em onze sub-regiões que diferem quanto aos tipos de vegetação, solo e ao nível de inundação. Desta maneira, cada sub-região apresenta particularidades regionais.

A grande importância do Pantanal para preservação é reconhecida mundialmente sendo considerado: Patrimônio natural da humanidade. Além disso faz parte das áreas estratégicas de conservação da biodiversidade mundial, através de outros dois títulos: Reserva da Biosfera e Sítio Ramsar, sendo estes títulos “doados” apenas aos locais mais preservados do Globo.

Possui 175 rios que desembocam no rio Paraguai, que significa rio dos papagaios na língua indígena, e é o principal rio do Pantanal. Proporciona um habitat favorável ao desenvolvimento de uma rica vida aquática.

Está cercado ao norte pelas Serras dos Parecis, Azul e do Roncador; a leste, no Planalto Central, com a Serra de Maracajú, ao sul pela Serra de Bodoquena e a oeste pelos chacos paraguaio e boliviano.

Curiosidades:

Corumbá - Capital do Pantanal com a maior extensão territorial com 62.561km2.

O gado é o “Bombeiro do Pantanal” (Embrapa-Corumbá) - Comendo o capim, ele evita o acúmulo de material combustível e torna os incêndios mais fáceis de controlar.

Os 11 Pantanais  

Conheça um lugar considerado um dos mais ricos em biodiversidade do mundo, o Pantanal Brasileiro. O Pantanal é subdividido em 11 sub-regiões distintas pelo grau de inundação e drenagem, vegetação, tipo de solo e formações montanhosas.

 

Pantanal do Rio Miranda - Rio Miranda - MS


Uma densa floresta, cortada por rios perenes, caracteriza o Pantanal do Rio Miranda. Os principais rios são o Miranda e Salobra, no qual grande parte corre pelas Serra da Bodoquena, que tem formação calcária.

As chuvas carregam para o Pantanal uma grande quantidade de sedimentos ricos em cálcio e magnésio, formando uma terra rica bem diferente do solo arenoso encontrado no Pantanal da Nhecolândia. Isto caracteriza solo fértil propiciando a formação de densa floresta.

No Pantanal de Miranda encontramos campos cheios da Palmeira Carandá (Copernicia alba) e formações arbóreas com espécies dominantes tipo o Ipê Amarelo “Para Tudo” (Tabebuia aurea) e o Ipê Rosa ”Piúva Pantaneira” (Tabebuia impetiginosa and T. heptaphyla). Esta formação arbórea conhecida localmente como Paratudais e Piuvais atraem as pessoas pela beleza das cores de suas flores.

Pela proximidade da Serra da Bodoquena, o Pantanal de Miranda encontra em zona de transição entre serra e planície propiciando uma grande diversidade de ambientes e aumentando a chance de encontrar um grande número de espécies de aves.

Neste site voce encontra: Foto de Animais / Fauna e Flora do Pantanal. Fazenda San Francisco - Pantanal do Rio Miranda - MS - Brasil.

Ciclo das Águas do Pantanal

O ciclo das águas é um dos fatores que rege a biodiversidade do Pantanal, uma vez favorece as espécies vegetais e animais, relacionados à fase de seca, ora favorece as espécies relacionadas a fase de cheia. Vegetais que crescem na fase da seca e morrem na fase de inundação, fornecerão nutrientes e sais minerais a água, e que por sua vez contribuirão para o desenvolvimento de outras espécies. 

A seca

A estação da seca ocorre de junho a outubro e os rios do Pantanal voltam ao seu leito original. Os campos ficam secos e a maioria das árvores perdem suas folhas. Os animais se deslocam grandes distâncias a procura de água.

Época de grandes queimadas, que causam muito sofrimento para a biodiversidade. As queimadas são importantes pois muitas flores brotam após as queimadas, porém se o fogo é muito forte causa um grande impacto negativo para o Pantanal.
Época de floradas do Ipê-amarelo - conhecido pelo pantaneiro como Paratudo e do Ipê-roxo conhecido aqui como Piuva.
Após o período de estiagem (sem chuvas) começam as chuvas novamente e reinicia o ciclo.

A vazante

É o período em que a água começa a escoar, sempre no sentido leste para oeste. As águas da cheia vão de encontro aos Rios Miranda, Aquidauana e outros que fazem parte da planície pantaneira e seguem para o Rio Paraguai, principal rio do pantanal. Isso ocorre de março a junho.
Neste período os peixes tentam desesperadamente retornar aos rios, mas quando os caminhos secam, os peixes ficam presos em lagoas ou baías temporárias que se formam sendo um grande atrativo farto para a fauna local.

Também ocorre o nascimento de gramíneas que servem de alimento para o gado, cervos, capivaras e outros animais herbívoros.

Enchente e cheia


O período de enchente normalmente se inicia em outubro quando as primeiras chuvas vêm para aliviar o fim da sofrida estação da seca.
As chuvas são intensas e quando caem nas regiões montanhosas que circundam o Pantanal descem para a planície e lentamente transforma a paisagem seca em verdes campos. Em janeiro, os campos já estão alagados e os rios transbordam.

O período da cheia normalmente vai de janeiro a março. Também período de Piracema (reprodução de várias espécies de peixes). Os peixes se espalham pela planície alagada.

Conheça o Pantanal nas diferentes estações do ano: CHEIA

O que chama a atenção neste cenário são as belíssimas paisagens que a água transforma nesta época do ano. Período muito importante para a vida do PANTANAL, a estação da cheia é também a época de reprodução da maioria dos peixes, que se espalham nos campos procurando corixos e baias para desovar, formando o berçário para seus filhotes até a próxima enchente quando eles já estão maiores para chegar até o rio.

O Pantanal é como se fosse um grande prato de sopa, represando toda água das chuvas que são intensas e quando caem nas regiões montanhosas que circundam o Pantanal descem para a planície e lentamente transforma a paisagem seca em verdes campos. Em janeiro, os campos já estão alagados e os rios transbordam.

Neste ano de 2016 estamos tendo mais chuvas do que o esperado e a planície se mantem inundada por mais tempo. "O processo ecológico que controla e faz com que o Pantanal exista é essa cheia e seca de todo ano. Então quanto maior for a cheia, ao menos para os peixes, é muito bom”, diz Emiko Resende, bióloga Embrapa Pantanal.

Para os pantaneiros, o momento é delicado. Muita água que chega das cabeceiras dos rios do planalto, alagando os campos onde são feitos a criação de gado. O pantaneiro é um homem forte, assim como todos os animais e plantas que vivem nesta região. Capaz de resistir aos momentos de abundancia de água e de escassez de água com muito fogo. A vida não é fácil por aqui, mas a natureza tem suas recompensas....

Convidamos você para ver este espetáculo da natureza. Venha visitar o Pantanal da Fazenda San Francisco e boas aventuras!

 

Conheça o Pantanal nas diferentes estações do ano: VAZANTE 

O que chama a atenção nesta época são os lindos campos verdes e a abundancia de fauna com rica paisagem. Na vazante, a água da enchente começa a escoar formando lagoas e baías que represam os peixes que subiram para reprodução e não voltam a tempo para o rio principal. Ficando prezos, se tornam prezas fáceis para aves pernaltas como as cegonhas tuiuiús, tabuiaiás e cabeças-secas e para as grandes garças pescadoras, além de jacarés e outros carnívoros que se aproveitam da fartura de alimento fácil. É neste momento que temos aqueles cenários belíssimos de centenas de aves em uma vazante ou baia. Para o gado, lembrando que a pecuária é a principal atividade econômica do Pantanal, também é época de fartura. Os campos nativos brotam e a pastagem fica farta e rica. Época de aproveitar pois a próxima estação judia do gado e dos animais da planície.

As águas correm sempre no sentido leste para oeste,  vão de encontro aos Rios Miranda, Aquidauana e outros que fazem parte da planície pantaneira e seguem para o Rio Paraguai, principal rio do pantanal. Isso ocorre geralmente de março a junho.

Um dos melhores períodos para conhecer o Pantanal pois há a abundancia de flora, paisagem ainda verde, viva e clima mais ameno.

Convidamos você para ver este espetáculo da natureza. Venha visitar o Pantanal da Fazenda San Francisco e boas aventuras!

Cadastre-se aqui e receba os pacotes para conhecer o PANTANALhttp://promo.fazendasanfrancisco.tur.br/pacotes-para-site